top of page

Avina e resiliência climática na Ilha de Marajó

Atualizado: 15 de dez. de 2023

Por: equipe de comunicação da ARCA Sustentabilidade


O estudo que desenvolvemos para a Fundação Avina na Ilha do Marajó (PA) nos permite fazer parte de um feito histórico: este foi o primeiro projeto brasileiro exclusivo de adaptação às Mudanças Climáticas a ser aprovado pelo Green Climate Fund (GCF) – fundo da ONU que fomenta iniciativas concretas de mitigação e adaptação às mudanças climáticas decorrentes do aquecimento global.


O estudo foi realizado em 2022 com enfoque na análise da vulnerabilidade climática em três municípios da Ilha do Marajó (PA) - Salvaterra, Soure e Cachoeira do Arari e serviu como subsídio da proposta Marajó Resiliente elaborada pela Fundação Avina. Agora, após recente aprovação do projeto obtida junto ao GCF, o projeto será implementado pela Fundação Avina e organizações parceiras seguindo as recomendações fornecidas por nós da ARCA, aumentando a resiliência climática das comunidades locais da Ilha do Marajó.


Com o auxílio da nossa consultoria, a Fundação Avina obteve como resultado todo o material técnico relacionado a vulnerabilidade climática necessário para apresentar ao GCF. O projeto não somente foi aprovado sem ressalvas, como também foi elogiado pela equipe técnica internacional do Fundo Verde do Clima.

 

Principais Resultados

 

Nosso trabalho consistiu em uma profunda e robusta análise climática com o objetivo de demonstrar ao GCF que as Mudanças Climáticas já estão impactando a população local e que há uma tendência de intensificação dessas mudanças. 


Como resultado, o estudo demonstrou que:

  • A média de temperatura máxima já aumentou 0,3 °C em relação a sua média histórica;

  • A precipitação média anual está reduzindo, e já atingiu um patamar 11% menor do que a média histórica; 

  • Há uma tendência de aumento de eventos extremos como chuvas muito intensas em um curto período, além de períodos de seca mais prolongados;

  • Cenários com tendência de elevação do nível do mar também indicam futuros impactos à população costeira e suas formas de sustento.

 

Com esses resultados, o estudo feito pela ARCA demonstra que a combinação entre aumento de temperatura e redução de precipitação tornará o ambiente produtivo da agricultura familiar na região mais complexo especialmente no que diz espeito à monocultura. Assim, os Sistemas de produção Agroflorestais (SAF) diversificados demonstram-se como solução de adaptação climática eficiente para aumentar a resiliência dos agricultores familiares.

 

Agrofloresta, para quem não sabe, é uma forma de manejo da terra que integra árvores, cultivos agrícolas e/ou animais em uma mesma área. Com essa “mistura”, há uma otimização das interações positivas entre os diferentes componentes, trazendo benefícios econômicos, sociais e ambientais.

 

A aprovação do projeto pelo GCF é o reconhecimento da importância e eficácia das estratégias propostas em nosso trabalho, a fim de enfrentar os desafios climáticos, fortalecendo a resiliência das comunidades locais. O êxito representa um marco significativo no caminho em direção à promoção da sustentabilidade e adaptação a longo prazo na Ilha do Marajó.

 

Atualmente, o projeto está em fase de efetivação do contrato, devendo iniciar no primeiro semestre de 2024.

Posts recentes

Ver tudo

Comments

Rated 0 out of 5 stars.
No ratings yet

Add a rating
bottom of page